terça-feira, fevereiro 28, 2012

SUPERVISÃO PSICOPEDAGÓGICA: Importância, vantagens, presencial ou á distância?

O trabalho psicopedagógico, o educativo, ou todo aquele voltado á aprendizagem, seja ele clínico, Institucional ou Empresarial pode ser multi ou interdisciplinar. No entanto, se trata de trabalho técnico especializado e, portanto, cabe ao psicopedagogo em exercício ou no uso de suas atribuições investigar os processos e problemas que ocasionam ou contribuem para instalação ou permanência de dificuldades. Lhe compete apresentar hipóteses concretas e substanciais, contribuições e orientações técnicas específicas, desta maneira, suprir a expectativa, ou seja, dar respostas para perguntas e atenuar sofrimentos, conflitos e outros sintomas decorrentes.
Definições
Supervisão: Processo de acompanhamento, inspeção e avaliação diagnóstica de atividades. Implica no levantamento de possíveis inconformidades a serem corrigidas em curto-médio e/ou longo prazos passíveis de orientação e levantamento e proposição de ações  corretivas e/ou oportunidades de melhorias.
Supervisão Psicopedagógica: Acompanhamento profissional especializado voltado ao acompanhamento, desenvolvimento e análise da práxis de profissionais, principalmente psicopedagogos, que tem por objeto de atuação a aprendizagem, seus processos, metodologias, modalidades, reflexos, consequências, problemas, limites, meios, vínculos, possibilidades e oportunidades entre outros fatores.
O trabalho do ponto de vista humano pode ser coletivo, e nem por isso deixa de ser solitário, por vezes, faltam:
ü  outras respostas possíveis ás perguntas de ordem específica;
ü  hipóteses;
ü  leituras;
ü  estudos e informações que a academia não dá conta de oferecer;
ü  experiência(s) proporcionadas ou vivenciadas.
Aí se estabelece a importância da supervisão, especialmente para:
ü  acompanhamento do desenvolvimento e evolução da atuação profissional (triagem, tabulação e assessoramento da organização de trabalhos);
ü  orientação profissional, e para melhor gestão de sua carreira (exemplo: recomendação de cursos a realizar, eventos científicos a participar voltados á sua realidade, necessidades e clientela);
ü  realização de estudos, registros e produção teórica acerca de sua prática para trabalhar sua escrita, possibilitar análise e reflexão de sua práxis ou mesmo publicar sua experiência e contribuir com o desenvolvimento da área em âmbito científico, além de divulgar seu trabalho;
ü  estar em contato com outro(s) profissional(is) ampliando rede de contatos e estar conectado á categoria;
ü  assessoramento para com a administração, empreendedorismo e gestão de suas atividades autônomas ou institucionais;
ü  apresentação de idéias, hipóteses e sugestões com sustentação teórica para situações que se apresentam;
ü  Sugestões de recursos para adoção em seus atendimentos;
ü  possibilidade de compartilhar angústias com alguém que compreende (trabalho terapêutico com o próprio profissional);
ü  obter recomendação de literaturas atuais, periódicos (revistas e jornais especializados), sites e/ou blogs, matérias e/ou artigos inéditos, testes, jogos, metodologias, sistemas e estratégias;
ü  entre outras possibilidades ou atividades.
Tudo isso á curto prazo, e cujo, maior benefício talvez seja ter mais segurança para poder trabalhar ante às incertezas e velocidade que as coisas mudam, o mercado reage e não dispomos de tempo para dar conta de tudo, nem de sistemas que não fiquem obsoletos ou engessem práticas; dos testes prontos que não servem para todos os casos.
Por conseguinte, é um investimento para si, com retorno garantido tanto do ponto de vista pessoal e profissional paralelamente.
Quando se está em formação na academia esta necessidade é suprida por professores experientes e atualizados, coordenadores e/ou gestores dos Cursos que são profissionais habilitados, especialistas e colegas na qual trocamos idéias e temos acesso á informações privilegiadas e atualizadas.


Profissionais de outras áreas adotam outras denominações, mas também usam a supervisão: psicólogos, psicanalistas, entre outros profissionais adotam a supervisão em busca de aperfeiçoamento, atualização e também por responsabilidade ética com sua prática, clientes e própria consciência. Buscam não estar na solidão, nem caminhar sozinhos. Estão sempre buscando formações e atualizações com profissionais mais experientes, estar sempre atualizados para um mundo e universo profissional global e com rápidas mudanças, que exige soluções, conhecimentos, habilidades e atitudes diferentes e cada vez mais complexas.
Quem pode se submeter á supervisão psicopedagógica?
A supervisão pode ser individual ou coletiva. Conforme necessidade de quem procura, e obedecendo ás questões de singularidade, especificidade, ética, sigilo e contrato podem ser aplicadas á um profissional, dois ou mais, ou a um grupo de profissionais ou de estudos. Pode acontecer á psicopedagogos que atuem em diferentes áreas da psicopedagogia, docência, gestão do ensino e seus sistemas, programas de inclusão, políticas públicas, projetos institucionais que requeiram atuação psicopedagógica cujo foco seja a aprendizagem.
Podem receber Supervisão Psicopedagógica:
Profissionais que querem ou precisam obter novos conhecimentos, técnicas, métodos em psicopedagogia, ou avaliar seus processos, desempenho e eficácia;
Psicopedagogos que querem obter suporte ou assessoramento á curto prazo para melhor direcionar seus trabalhos, INOVAR em seus serviços ou para tornarem-se psicopedagogos membros titulares;
Profissionais que procuram um diferencial em sua vida e carreira. Submetendo-se á psicopedagogia (de si mesmos) podem avaliar sua memória, atenção, concentração, potencial cognitivo e desempenho, ampliar seu autoconhecimento, habilidades e competências;
Psicopedagogos que querem ampliar sua própria vivência psicopedagógica, submetendo-se á psicopedagogia de si mesmos: avaliar sua memória, atenção, concentração, potencial cognitivo e desempenho, ampliar seu autoconhecimento, habilidades e competências para atuarem fortalecidos e amplamente conhecedores/experientes dos processos pelo qual seus clientes atravessam (rão);
Estudantes de psicopedagogia que têm uma visão genérica e universalista da profissão e querem ter foco em sua carreira;
Educadores (docentes ou gestores de diversas modalidades de ensino: educação infantil, séries iniciais, ensino fundamental, médio, técnico ou superior): que querem suporte para com a aprendizagem e sua prática pedagógica e/ou saber mais sobre as dificuldades de aprendizagem, discutir e receber orientações sobre casos específicos que requerem abordagem diferenciada em sala de aula, ou ainda que querem ampliar sua própria vivência pedagógica.
Supervisão Psicopedagógica: á distância ou presencial?
           
            A supervisão pode ser presencial, semi-presencial ou á distância. A correria, o dia a dia, trânsito, segurança pública e patrimonial, muitos compromissos, agendas lotadas, tempo para si, para a família e obrigações com administração do lar e compromissos pessoais de cidadão: compras a fazer, contas a pagar... implica em só restar da meia noite ás seis para algumas pessoas poderem dedicar a si mesmas, á formação e atualização inclusive.]
            Vivemos numa ‘vida louca’, a sociedade global e capitalista nos impõe concorrência, trabalho, trabalho e mais trabalho para dar conta de nossas vidas, desejos e necessidades, se trabalha cada vez mais a procura de conforto e dignidade, restando pouco tempo para estudar se qualificar-aperfeiçoar. Todavia poucos negam sua importância, necessidade e carência, por esta razão alguns procuram possibilidades á distância.
            O mais importante é buscar dentro de seu bolso, tempo e possibilidades a atualização. Neste acaso a supervisão nos últimos tempos vem seguindo também a tendência da tecnologia e evolução principalmente da informação e comunicação aliada ás possibilidades de interação “just in time” *em tempo real, por intermédio de conversas instantâneas, complementadas por correio eletrônico (e-mails), vídeos, redes sociais e ligações telefônicas.
            Vantagens e desvantagens: ambas as possibilidades são vias de mão dupla, vão ter benefícios e dificuldades a serem mensuradas por cada profissional interessado e em relação a singularidade de suas necessidades.
Na modalidade presencial estão benefícios como: o contato, são supridas necessidades visuais, auditivas e cinestésicas; como pontos negativos o deslocamento e tempo. Tradicionalmente o supervisionando frequenta o espaço do supervisor, mas também pode e é interessante acontecer um trabalho estilo “home care”, ou “personal”, que quer dizer, ir no espaço do supervisionado, realizando as sessões de supervisão lá ou eventualmente visitar também o seu espaço. Isso em livre consentimento entre as partes e acertados os eventuais adicionais que se coloquem.
À distância mantém-se o visual e o auditivo, perde-se a cinestesia, o contato com o material de suporte psicopedagógico concreto quando supervisor e supervisionado não tiverem em mãos ao mesmo tempo os mesmos recursos implicando por vezes na necessidade de investimento extra em curto prazo para aquisição ou impressão, e/ou na necessidade de repostas posteriores e não imediatas.
Semi-presencial, esta possibilidade é um mix entre presencial e a distância. Quanto a sua operacionalidade combina o exposto nos itens anteriores que versam sobre as especificidades. O contrato e metodologia a ser estabelecida, a periodicidade e horários dos encontros presenciais devem ser estabelecidas e acordadas entre as partes. Neste caso podem ser planejados e dosados os trabalhos que serão desenvolvidas em cada modalidade combinada conforme, perfil, possibilidades e necessidades do supervisionado e supervisor.
Como ficam os INVESTIMENTOS E/OU CUSTO-BENEFÍCIO?
Os valores podem variar e ser estabelecidos conforme:
ü  a região;
ü  por sessão e tempo/duração;
ü  metodologia(s) adotadas;
ü  modalidade(s);
ü  formação, titulação e experiência do supervisor.
ü  deslocamentos;
ü  aquisição de recursos materiais;
ü  tempo de análise de materiais desenvolvidos, produções, elaboração de pareceres, orientações especiais;
ü  formação complementar paralela necessária ou orientada.
Quanto aos valores podem variar de um mínimo de R$ 70,00 (setenta reais) a R$ 300,00 (trezentos reais) a sessão (por psicopedagogo supervisionado) com duração média de 50 (cinquenta) minutos.
E também, valores mensais, ou bimestrais ou trimestrais variáveis, conforme a quantidade de encontros ‘versus’ intervalo de tempo, metodologias e outras variáveis, que partem de um mínimo de R$ 350,00 (trezentos e cinquenta reais) a R$ 1.500,00 (Hum mil e quinhentos reais), ou mais, conforme o estabelecido e realizado.
Vale lembrar que se trata de investimento com retorno garantido e de valor e benefícios intangíveis.
Perfil profissional do Supervisor Psicopedagógico
O interessado em receber supervisão deve procurar um supervisor que lhe seja acessível, estudioso, transmita confiança. Afinidade, afeto e confiança são importantes ingredientes a serem considerados para estabelecer a relação com a aprendizagem. Tão quanto, ou mais importante do que títulos ou renome está o vínculo entre as partes e poder confiar e contar com. O supervisor Psicopedagógico deve:
ü  ser psicopedagogo membro titular nacional;
ü  ter amplo conhecimento teórico e prático em psicopedagogia;
ü  ter ampla experiência de atuação com processo de ensino aprendizagem;
ü  preferencialmente formação na área de educação, experiência em docência ou gestão escolar em diferentes modalidades de ensino;
ü  relação prática e íntima com os problemas e dilemas escolares e da aprendizagem na atualidade.
Uma relação contratual é importante. Estabelecer um contrato de prestação de serviço é interessante, muito embora se reconheça que o contrato firmado preceda a formalidade. Em tempo de legalização, direito do consumidor é sinal de profissionalismo, ética e transparência deixar claro entre as partes o que? como? quando? e por quanto? Será realizado o trabalho de supervisão. Não se precisa deixar de lado a flexibilidade. O estabelecimento de contrato aumenta clareza, credibilidade e confiabilidade.
            Psicopedagogo, Educador, Profissionais da aprendizagem éticos e comprometidos com a aprendizagem e que queiram inovar, empreender, lograr êxito e desenvolver práxis cada vez mais eficientes e assertivas buscam supervisão profissional, mudam seu desempenho, progressos e a melhora de ser crescimento pessoal e profissional e dos processos de ensino aprendizagem. Fazem a diferença.
PACHECO, Daniela Chagas. Supervisão Psicopedagógica: Importância vantagens, presencial ou á distância? Criciúma (SC), 2012. 
www.knowhowaprendizagem.blogspot.com.
Postar um comentário