quarta-feira, setembro 10, 2014

A Importância dos Jogos na Psicopedagogia

jogorpg_120715_prisciladarre.cc_Brincadeiras e jogos sempre estiveram presentes na vida das crianças. Através da brincadeira a criança representa o mundo dos adultos, ela aprende a conviver com as regras, ela expressa os seus sentimentos e medos, suas angústias e traumas. A criança é capaz de superar os desafios, de aprender com facilidade e querer continuar aprendendo, tudo isso através de uma brincadeira.
É essencial ressaltar a importância do aspecto lúdico para o desenvolvimento da aprendizagem humana, ou seja, as atividades como a contação de histórias, a música, os jogos, e tudo que estimule a criatividade são fundamentais para promover a aprendizagem da criança.
Portanto através da brincadeira a criança poderá estimular todas as suas potencialidades, e desenvolver seu lado social, motor e cognitivo. Segundo Piaget, as crianças não raciocinam como adultos, sendo elas as próprias construtoras ativas do conhecimento, vivendo constantemente criando e testando suas teorias sobre o mundo.
Então brincando a criança vai construindo sua identidade, assim como vai se desenvolvendo e vai aprendendo os instrumentos de brincar, ou seja, os brinquedos criados a partir de imagens, significantes e significados próprios da cultura do grupo a que pertence.
Dessa forma, considera-se o brincar como um fenômeno psicológico e psicopedagógico, como uma necessidade e um fator determinante no desenvolvimento integral de sujeito humano (desenvolvimento físico, mental e emocional), essencial na constituição de sua personalidade, e de sua identidade, como fator de relação e comunicação com outros sujeitos e consigo mesmo.
Segundo Freire (2002), quando uma criança é pequena e ainda não desenvolveu sua linguagem verbal, ela passa a repetir os gestos que está observando, mesmo que seu uso não seja necessário. Esta habilidade é utilizada como uma conduta lúdica, sendo executada por prazer representando o ato corporal, sendo considerada um “jogo de exercício”, no qual representações mentais que caracterizam o pensamento.
Jogosjogo é considerado importante para o crescimento de uma criança, favorecendo o desenvolvimento humano a partir das ações que o sujeito exerce sobre o ambiente. Piaget ressaltou em seus estudos os jogos de exercício, no período sensório-motor; jogos simbólicos, no período pré-operatório; e jogos de regras.
Os jogos e brincadeiras realmente contribuem para a construção da inteligência, de forma que sejam usados em atividade lúdica prazerosa e com questionamentos do psicopedagogo, respeitando as etapas de desenvolvimento intelectual da criança.
Uma infância bem vivida no aspecto lúdico trazem benefícios ao longo da existência do indivíduo. As múltiplas possibilidades de autoconhecimento estimuladas através das brincadeiras contribuem para tornar a criança mais segura, autoconfiante, e consciente de seu potencial e de suas limitações.
O uso de atividades lúdicas adequadas na psicopedagogia contribui para que os alunos possam obter melhores resultados em seu desempenho. Porém, somente atividades lúdicas não resolvem o complexo processo educativo, elas podem auxiliar em favor de promover mudanças, buscando, por parte dos psicopedagogos interessados, promover mudanças e melhores resultados.
jogo é um excelente recurso para o atendimento psicopedagógico, porém é preciso preservar a ludicidade, usando-o como instrumento de vinculação afetiva e cognitiva com a aprendizagem. Torna-se necessário então que o psicopedagogo faça intervenções de caráter subjetivo, de forma que o indivíduo vá se percebendo e construindo a sua forma de aprender.
Dessa forma, torna-se fundamental ressaltar que os jogos e brincadeiras são jogos1aliados permanentes, e possibilitam às crianças o desenvolvimento das suas habilidades intelectuais, sociais e físicas, de forma prazerosa e participativa, sendo os jogos e brincadeiras de grande contribuição para o contexto das dificuldades de aprendizagem.
psicopedagogo se utiliza dos jogos como grandes aliados, visando a conscientização das pessoas de suas potencialidades, procurando resgatar seus processos internos de apreensão da realidade nos aspectos cognitivo, afetivo-emocional, e dos conteúdos, motivados em busca de uma aprendizagem prazerosa.
Os jogos são recursos indispensáveis, tanto na avaliação, como na intervenção psicopedagógica, pois favorecem os processos de aprendizagem e o desenvolvimento cognitivo do indivíduo.
Na intervenção psicopedagógica, a sua utilização é de que ao se propor um jogo é preciso ficar claro o porquê de jogar, o que jogar, para quem, com quais recursos, de que modo jogar, quando e durante quanto tempo jogar, e qual a continuidade desta atividade ao final de seu desenvolvimento. Essa intervenção pode apresentar um caráter preventivo ou curativo, na qual o caráter preventivo vai estimular o sujeito a agir, elaborando previamente estratégias para a solução de problemas; enquanto que o caráter curativo é direcionado para pessoas que apresentam algum tipo de dificuldade na aprendizagem. Nesse caso é preciso identificar essa dificuldade e criar condições favoráveis para superação.
Portanto, para o psicopedagogo, o uso dos jogos torna-se fundamental tanto para realizar o diagnóstico de uma criança com transtorno ou dificuldade de aprendizagem, assim como utiliza-os como ferramentas durante as suas intervenções terapêuticas.
 Fonte: Regina Antunes - Psicóloga e Psicopedagoga - CRP 05/13367
Postar um comentário