quinta-feira, novembro 22, 2012

Para quem trabalha com Sandplay - Jogo de areia


TORNAR-SE QUEM SE É

A constelação do Self no jogo de areia 

Edna Garcia Levy, Armazem Digital, 2011
 A terapia de Sandplay-Jogo de areia é um método terapêutico projetivo, criado por Dora M. Kalff e fundamentado nos conceitos da psicologia analítica de C.G. Jung.  É definido pela International Society for Sandplay Therapy como “uma forma criativa de terapia que utiliza a imaginação e caracteriza-se pelo uso da areia, água e miniaturas na criação de imagens dentro do ‘espaço livre e protegido’ do relacionamento terapêutico e da caixa de areia”.
O paciente constrói cenários, que serão fotografados e interpretados sob o ponto de vista simbólico. Por meio de sua criação o paciente dá forma e expressão exterior ao seu mundo interior, trazendo à luz conteúdos e dinâmicas inconscientes.  Trazer para a concretude o mundo inconsciente nos ajuda a alcançar a consciência, reconhecendo a própria condição e possibilitando a realização das mudanças necessárias.  É desse nível de participação que surge a transformação.
A terapia de Sandplay-Jogo de areia é eficiente na clínica de adultos e infantil e  pode ser utilizada tanto como um método psicoterapêutico autônomo quanto como uma técnica  auxiliar do processo analítico.
Um aspecto importante e relevante é que com a utilização deste método  juntamente com a análise verbal tradicional, dois processos terapêuticos estão ocorrendo concomitantemente, estão inter-relacionados e são complementares. Na prática clínica, percebe-se claramente que o uso deste método facilita o processo terapêutico, trazendo à tona conteúdos psíquicos inconscientes, ativando os processos de elaboração dos conflitos e complexos, e, por conseqüência, acelerando o ritmo da análise.  
O livro “Tornar-se Quem se É – A constelação do Self no jogo de areia” surgiu da necessidade imperiosa da autora ter que fazer uma devolutiva  – fechamento de um processo terapêutico –  com um paciente em poucas sessões, contrariando a orientação do método.
 A devolutiva é uma parte muito importante e rica de todo o processo, em que o paciente se reconhece nos significados simbólicos contidos nas cenas, e novas percepções acontecem à medida que os cenários são vistos e analisados conjuntamente.
Diante do dado real, que dispunha de poucas horas, Edna G. Levy baseou o trabalho de devolutiva analisando única e exclusivamente o centro dos cenários. Este é o pressuposto do seu trabalho, demonstrar que esta forma abreviada de análise dos cenários é fidedigna, pois se mostrou reveladora e eficiente em todos os aspectos.
Nesta tarefa a autora chegou a seguinte conclusão: “A análise de um processo terapêutico no jogo de areia feita de forma abreviada, tendo como objeto de análise somente o CENTRO dos cenários, possibilita alcançar uma visão panorâmica dos estágios do desenvolvimento psíquico. É claramente observável a reordenação da personalidade desde o início, o confronto com os aspectos sombrios, a diferenciação do par de opostos (anima, o feminino contido no homem e o animus, o masculino contido na mulher) e a possível constelação do Self ou Si-mesmo, o arquétipo da unidade da personalidade e principio unificador da psique que detém a autoridade sobre o destino do individuo.
 Assim, para a analista junguiana, “a terapia de Sandplay-Jogo de areia é uma ferramenta de inestimável ajuda na realização da grande obra da nossa existência – tornar-se quem se é”.
O livro apresenta no Capítulo I os estágios do processo terapêutico no Jogo de areia. No Capítulo IItraz a definição do Jogo de areia pela “International Society for Sandplay”, as circunstâncias da criação do Jogo de areia e a sua idealizadora Dora M. Kalff, encerrando com noções básicas para uma introdução ao Jogo de areia.
 A seguir, no Capítulo III aborda o aspecto do brincar simbólico e sua função dentro do processo terapêutico. Por meio de diversas visões teóricas, analíticas e psicanalíticas, traça um paralelo entre o Jogo de areia e a obra alquímica, mostrando como é fundamental o processo de construir-se em busca da individuação.
 Em seguida, no Capítulo IV apresenta a teoria do desenvolvimento do eixo ego-Self  desenvolvida por Edward F. Edinger, e na sequencia, como esse processo de desenvolvimento acontece aos olhos da teoria do Jogo de areia. Comprovando o pressuposto apresentado no trabalho, relata um processo analítico com o Jogo de areia, mostrando seu desenvolvimento psíquico analisado unicamente pelo centro do cenário. Encerra este capítulo com um breve relato do período pós-análise, com informações atualizadas sobre o estudo clínico apresentado.
 Finaliza, no Capítulo V com os objetivos teóricos alcançados e destaca alguns aspectos relevantes do Jogo de areia que agregam benefícios e eficiência ao processo de análise dentro da psicologia analítica. Encerra, no Capítulo VI com referências bibliográficas.
 A publicação é acompanhada de CD-ROM com imagens coloridas de todos os cenários analisados pela autora.

 Sumário

 I – Introdução
II – Apresentação do “Sandplay”
O que é “Sandplay – jogo de areia”
A criação do jogo de areia e sua criadora
Introdução ao método do jogo de areia
Material necessário
Coleção de miniaturas
Setting
Instruções para o primeiro cenário
Frequência e resistência ao jogo de areia
O jogo de areia e outros métodos terapêuticos
A sessão do jogo de areia, registro e arquivo
Desmontagem dos cenários
Interpretação dos cenários
III – O processo simbólico
Brincar, um rito de passagem
O essencial é o opus que conduz à meta
 IV – A constelação do Self
A teoria do desenvolvimento do eixo ego – Self
A constelação do Self  no jogo de areia
Apresentação empírica – Caso Clínico
Atualização do caso no período pós análise
 V – Reflexões finais
 VI – Referências bibliográficas

Autora 

Edna Garcia Levy é psicóloga clínica. Analista junguiana didata da International Association for analytical Psychology-IAAP, da Associação Junguiana do Brasil-AJB e do Instituto Junguiano de São Paulo-IJUSP. É terapeuta de Sandplay  pela International Society for Sandplay Therapy (ISST), além de especialista em psicologia aplicada à cardiologia. Atua em São Paulo, em clínica particular, no atendimento psicoterápico de adolescentes, adultos e idosos. Orienta grupos de estudos, dá supervisão clínica e ministra cursos.
Postar um comentário