segunda-feira, fevereiro 06, 2012

Trabalhando com alunos com Disgrafia...


Segundo Adelantado (2004), no artigo "Entendiendo la disgrafia. El ajuste visuomotor en la escrita manual", afirma que os professores que trabalham com crianças disgráficas, para responder adequadamente às suas necessidades têm de introduzir mudanças em:

-na percentagem de tempo dedicado ao trabalho escrito: proporcionar-lhe mais tempo em tarefas de escrita, permitir-lhes começar antes ou dar.-lhe a folha com elementos facilitadores (formulários já preparados para preencher determinadas partes, folhas de notas com partes já escritas, etc.).

-o volume de trabalho: permitir-lhe o uso de abreviaturas nos textos escritos, não ter em conta a apresentação ou da ortografia nos seus trabalhos, reduzir os trabalhos de cópia (na matemática dar-lhe os problemas já copiados, por exemplo), facilitar-lhe apontamentos ou dar-lhes a possibilidade de fotocopiar apontamentos dos colegas.

- a complexidade: permitir-lhes fazer os trabalhos usando o computador e utilizar a revisão ortográfica, não contabilizar os erros de escrita ou permitir-lhes usar folhas pautadas e termodelos de letras na sua mesa de trabalho.



-as ferramentas: permitir-lhes usar o tipo de letra mais cómoda, o papel com as linhas traçadas, lápis ou canetas de cor, o instrumento que prefiram (lápis, caneta, esferográfica, etc.), prótese de agarre, um processador de textos ou um programa informático de reconhecimento de voz.

-no formato: permitir-lhes apresentar os trabalhos mecanografados ou oralmente, substituir os exames escritos por exames orais, realizar escrita cooperativa em grupo, etc.
Postar um comentário